Um número cada vez maior de pessoas está se familiarizando com a existência do Bitcoin, mas podemos dizer com um certo grau de propriedade que ainda estamos falando de um mercado de nicho. Mesmo entre aqueles que regularmente fazem trade de Bitcoin, são poucos os que realmente entendem a tecnologia intrínseca.

Isso se dá devido ao fato das criptomoedas serem, atualmente, usadas em sua maioria como ferramenta especulativa. Muitas pessoas estão correndo atrás de lucro e não ligam para mais nada. Apenas o mínimo conhecimento técnico é necessário para se envolver com trade, mas acreditamos firmemente que é útil saber os fundamentos. O conhecimento vai eliminar incertezas e dúvidas, que ainda são grande parte da visão do público geral sobre Bitcoin e criptomoedas no geral.

Neste artigo, vamos focar especificamente na mineração de Bitcoin. Vamos explicar de modo fácil e acessível o que é mineração de Bitcoin e como minerar Bitcoins e outras criptomoedas. Esperamos que você consiga entender melhor como a mineração de Bitcoin funciona.

 

Lista de conteúdo

O que é mineração de criptomoedas?

Começaremos com uma explicação mais formal, e então dividiremos o assunto em pedaços menores, mais digestíveis de informação.

Mineração é um sistema de consenso distribuído. Isso significa que um grande número de pessoas ao redor do mundo está envolvido com a manutenção da rede do Bitcoin. Mineração é um termo usado para descrever o processo de validar transações que estão aguardando para ser incluídas na tecnologia blockchain.

Uma ordem cronológica de transações é alcançada a partir do processo de mineração. Se uma transação deve ser confirmada com sucesso e incluída, ela precisa ser transformada em um bloco que siga as rigorosas regras de encriptação.  Estas são verificadas e validadas pelos mineradores da rede e não há envolvimento de qualquer autoridade governamental. Isso protege a neutralidade da rede do Bitcoin.

Nós podemos fazer uma rápida comparação com o uso de cartões de crédito no sistema monterário eletrônico tradicional. Cada pagamento deve ser verificado e registrado pela companhia do cartão de crédito (por exemplo, MasterCard ou Visa).

Podemos dizer que o fluxo de caixa inteiro do sistema bancário contemporâneo é registrado em sistemas centralizados, e eles são bastante suscetíveis à manipulação.

O Bitcoin, por outro lado, não possui uma organização centralizada que confirma as transações. Esse trabalho é feito pelos mineradores de Bitcoin, e eles também criam novos Bitcoins no processo!

Mas por que o processo é chamado de mineração de criptomoedas? De onde veio esse termo?

how to mine bitcoins

O processo de criar novos Bitcoins é chamado de mineração devido a seus muitos paralelos com a mineração do ouro. Em ambos os casos, envolve investir uma alta quantia de trabalho e energia para produzir um ativo altamente valioso.

 

Mineração de Bitcoin: os fundamentos

Todo mundo está provavelmente familiarizado com o processo de mineração de ouro. Nós precisamos investir uma certa quantidade de trabalho para receber o material bruto que possui valor aos olhos das pessoas. O Bitcoin não é muito diferente neste aspecto, exceto que é uma fonte inteiramente digital, então o processo de mineração ocorre no mundo virtual.

A economia básica de obter ouro é simples, mas o processo pode ser volátil e imprevisível.

Existe um incentivo econômico para a mineração de ouro quando os custos associados à mineração de uma onça de ouro (mão-de-obra, pagamentos, equipamentos) são menores que o valor de uma onça de ouro.

O Bitcoin é parecido neste aspecto, mas existem algumas diferenças em comparação com a mineração de ouro. Os mineradores estão descobrindo novos Bitcoins a níveis pré-determinados de dificuldade e aumento de consumo de energia.

Existe um incentivo econômico para minerar Bitcoin quando os custos associados com a mineração de Bitcoin (eletricidade, poder computacional) são mais baixos do que o valor da recompensa da mineração.

De que tipo de recompensa estamos falando?

 

Mineração de Bitcoin: recompensas

Os mineradores que obtêm mais êxito são recompensados com novos Bitcoins se eles adicionarem um novo bloco à blockchain com sucesso.

Atualmente, a premiação nunca é recebida por apenas uma pessoa, porque ninguém no mundo tem poderio computacional à sua disposição para resolver as operações matemáticas complexas necessárias para um bloco bem-sucedido.

Os mineradores, dessa forma, se juntam nas chamadas “piscinas de mineração” (ou mining pools) e colaboram de forma coletiva. A premiação é então distribuída em proporção ao trabalho envolvido. Aqueles com uma contribuição maior de força computacional recebem uma recompensa maior.

A gratificação é cortada pela metade a cada 210,000 blocos. No momento deste artigo, a chamada altura de bloco do Bitcoin é 567.000. Isso significa que toda a blockchain do Bitcoin contém 567 mil blocos.

Cada bloco é cronologicamente conectado ao bloco anterior (mais antigo) na cadeia até o bloco Genesis original.

Os mineradores inicialmente eram recompensados com 50 Bitcoins, e em 2012 a recompensa foi dividida pela metade para 25 Bitcoins. A divisão mais recente ocorreu em 2015, para a gratificação atual de 12,5 Bitcoins. A próxima divisão está projetada para maio de 2020, e ocorrerá quando chegar a 630.000 números de blocos. Você pode monitorar a contagem regressiva aqui.

A recompensa é cortada pela metade aproximadamente a cada quatro anos. Nós podemos calcular facilmente esse período de tempo com a simples multiplicação de dez minutos (tempo médio para um bloco novo) com 210.000 (número exato de blocos novos necessários para um evento de divisão). Um fato interessante é que esses eventos coincidem com as Olimpíadas de Verão.

 

Mineração de Bitcoin: segurança e dificuldade

Mais mineradores garantem uma rede mais segura pois praticamente elimina a possibilidade de alguém manipular a rede e seus ativos.

O lado ruim é que um aumento no número de minerador de Bitcoin também aumenta a dificuldade de mineração (e diminui a rentabilidade). É o que chamamos de medida relativa do quão difícil é achar um novo bloco. De um modo geral, a dificuldade é ajustada de acordo com quanta força computacional é distribuída pela rede de mineradores.

Esse ajuste garante que um bloco é sempre adicionado à blockchain a cada 10 minutos (e não mais cedo ou mais tarde devido a um número variável de mineradores).

Uma dificuldade maior, em teoria, significa lucro menor para os mineradores. Isso é porque a recompensa é distribuída para um número maior de mineradores, então cada um deles recebe uma parte menor. Não é um grande problema se o preço do Bitcoin estiver alto — ou se os mineradores tiverem acesso a eletricidade barata ou gratuita. Veja a cotação das criptomoedas

Pode acontecer de a recompensa da mineração não cobrir os custos de minerar. Nesse caso, muitas pessoas continuam com suas operações para minerar, em grande parte porque acreditam que o Bitcoin valerá muito mais no futuro.

Concluindo, a mineração de Bitcoin é o processo de verificar transações e criar novos Bitcoins.

 

Como minerar criptomoedas?

Agora que você tem uma ideia melhor do que é a mineração de criptomoedas, você pode estar com vontade de tentar por conta própria. Neste capítulo, nós iremos explorar o equipamento de hardware para uma mineradora de Bitcoin e os procedimentos necessários para estabelecer uma operação de mineração em casa. Então, pegue sua picareta e vamos começar!

 

Equipamento de hardware para mineração de criptomoeda

O primeiro passo para começar a minerar Bitcoin é investir em um hardware apropriado, pois representa o fator mais importante para o sucesso.

A princípio, qualquer pessoa pode minerar criptomoedas. Você deve executar softwares dedicados à mineração no seu computador, mas é improvável que tenha lucro sem alguma pesquisa.

Nos primeiros anos da existência do Bitcoin, usar computadores pessoais comuns era o suficiente, mas recentemente isso se tornou ineficiente. Um fator de grande contribuição foi o aparecimento dos chamados dispositivos ASIC (circuitos integrados de aplicação especifica, ou CIAEs), por serem mineradoras de Bitcoin (BTC) muito mais eficientes e competitivas. Eles executam apenas tipos específicos de operações computacionais necessárias para mineração de criptomoedas. Mas estamos falando sobre dispositivos extremamente barulhentos e quentes que dificilmente são adequados para ambientes domésticos.

O Ethereum ganhou muita popularidade em 2016 e 2017 porque permitia grandes lucros de moedas usando computadores domésticos, combinado com um mercado em expansão, assim como enormes lucros.

bitcoin blockchain

Uma estimativa aproximada da quantidade total de força computacional na rede do Bitcoin. Nós podemos ver um aumento enorme em 2017 e 2018. A eficiência do hardware de mineração é geralmente apresentada em unidades chamadas “Tera Hashes por segundo” ou TH/s. Elas mostram quantos trilhões (10^12) de operações computacionais (ou tentativas de soluções de mineração) são feitas cada segundo. Em teoria, esse é o principal número que você deveria estar interessado quando comprar hardware de mineradora de Bitcoin. Fonte do gráfico: https://www.blockchain.com

 

Piscinas de mineração

Os mineradores logo perceberam que eles podem aumentar facilmente seus lucros ao combinar mais unidades GPU. Como resultado, enormes fazendas de mineração foram construídas em regiões onde há acesso barato à eletricidade e equipamento de mineração. Essas fazendas deixaram muitas pessoas milionárias. Algumas empresas de mineração até terceirizaram sua força computacional ao alugá-las para os consumidores.

Em face à crescente popularidade da mineração de Bitcoin, algumas pessoas também começaram a se unir às piscinas de mineração, que aumentava as chances de receber uma recompensa.

mining bitcoins

Uma fazenda típica de mineradoras ASIC – dispositivos que são feitos para uma forma específica de computação. Neste caso, eles são usados para mineração de criptomoeda. Fazendas como essa são geralmente situadas em países asiáticos devido à ampla oferta de eletrônicos baratos, e em países ao norte devido ao tempo mais frio e à consequente refrigeração mais barata.

 

Como começar a minerar criptomoedas

Agora sabemos que a mineração de cripto demanda equipamentos que usem menos eletricidade possível. Nós estamos sempre em busca da melhor combinação de preço e performance.

Se você decidir começar a minerar criptomoedas, você deve perceber que provavelmente terá dificuldade devido ao preço da eletricidade. Damos a isso o nome de mineração a solo, mas é recomendável que você se junte a uma piscina de mineração ou a uma comunidade que usa sua força computacional combinada para minerar criptomoedas.

Mas de onde vem o termo “piscina”? Vamos explicar com um exemplo. Pense na força de computação como água, e toda a rede de Bitcoin como um grande mar. As pessoas com a maior quantidade de água terão chances maiores de receber a recompensa. A maioria das pessoas só possui um balde pequeno de água. Como resultado, elas se juntam e despejam sua água numa piscina. Se a piscina delas recebe uma recompensa, então será distribuída proporcionalmente de acordo com a quantidade de água despejada por cada indivíduo.

Dessa forma, os iniciantes são aconselhados a entrar numa piscina de mineração. Mas tenha cuidado e escolha apenas piscinas de mineração reconhecidas.

Você irá precisar de software especializado sem o qual não irá funcionar, mesmo que você possua o melhor hardware para minerar criptomoedas. Uma grande parte de saber técnico é necessária para configurar o software, então este processo é recomendado para aqueles que possuem um pouco mais de experiência.

Nós não pretendemos escrever tutoriais sobre a instalação e o uso desses programas, então siga este link se você está interessado em software de mineração.

how does bitcoin mining work

Um equipamento típico de alguém que leva a mineração de criptomoedas um pouco mais a sério. Nós podemos ver oito placas de vídeo, duas fontes de energia, e uma placa-mãe. Esses são todos componentes de consumidor comum que você possui no seu computador.

 

Pagamento de recompensa pela mineração de criptomoedas

Depois de montar seu hardware e software para a mineração de Bitcoin, você pode começar a minerar imediatamente! Mas você deve estar se perguntando onde você vai receber seus potenciais ganhos.

Os pagamentos são feitos em sua maioria com Bitcoin, pois é, de longe, a criptomoeda mais popular na comunidade de mineração. 

Você provavelmente sabe que o Bitcoin não pode ser guardado na sua conta bancária, então você irá precisar de uma carteira Bitcoin.  Deixe-me te lembrar que a última também é suportada pela Kriptomat.

Você precisa ser bastante cauteloso ao escolher uma carteira. Transações de Bitcoin são irreversíveis, então ninguém deve ter acesso às suas chaves privadas.

Uma carteira Bitcoin é sempre composta de duas partes: A primeira parte é a chave pública da carteira (também chamada de endereço público), que pode ser compartilhada com outras pessoas. A segunda parte é a chave privada, que nunca deve ser revelada publicamente.

As carteiras cripto são divididas em duas categorias básicas:

  • Hot wallets – constantemente conectadas à internet,
  • Cold wallets – não são conectadas à internet,

e quatro subcategorias básicas:

  • Hardware wallets, ou carteiras de hardware
  • Paper wallets
  • Carteiras online
  • Software wallets, ou carteiras de software

Nós recomendamos carteiras como Ledger ou Trezor, mas você pode ler mais sobre carteiras de cripto em nossa publicação.

 

Mineração de criptomoedas: consumo de energia

Como qualquer outro sistema de pagamento, a mineração das criptomoedas tem um preço. Neste caso, estamos falando de consumo de energia. O equipamento para mineração está constantemente funcionando em sua capacidade máxima e enormes quantidades de energia são gastas na forma de calor extra. Como resultado, muitas das principais operações de mineração estão em países ao norte, onde é mais fácil de reduzir o custo da eletricidade associada à refrigeração.

É difícil avaliar com precisão o impacto da mineração de Bitcoin sobre o meio ambiente. Estudos antigos estimam que é mais poluente do que a mineração de ouro, mas essas estimativas parecem ter sido exageradas.

Um novo estudo, publicado por CoinShares no fim de 2018, sugere que a mineração de criptomoedas é muito mais amistosa ao meio ambiente do que originalmente esperávamos. De acordo com o relatório, a grande maioria da mineração está sendo alimentada por fontes de energia renováveis.  É estimado que a mineração de Bitcoin é mais verde do que quase qualquer outra indústria em larga escala.

 

Mineração de criptomoedas: conclusão

Nós certamente vivemos em uma época interessante. As pessoas estão investindo muito tempo, esforço e energia em minerar ativos virtuais que são registrados com uns e zeros digitais. Na nossa opinião, isso é um desenvolvimento social e tecnológico natural. O que era estranho ontem será normal amanhã.

Quando as pessoas começaram a minerar ouro séculos atrás, provavelmente parecia ridículo para alguns porque o ouro não vai ajudar quando tem bocas para alimentar. Dê um chimpanzé a opção de escolher entre uma banana e uma barra de ouro, e ele com certeza escolherá a primeira. Eles não possuem a consciência de que o ouro iria fornecer quase uma vida inteira de comida.

Nós simplesmente criamos um sistema de valor/crença que permite a troca de bens. Quem diz que o sistema não possui lugar para uma moeda inteiramente digital? Do jeito como está, o sistema financeiro inteiro está migrando para um domínio digital de qualquer maneira. Por exemplo, o que você usa para pagamentos? Cartões de crédito ou dinheiro físico? Se você costuma usar o último, então você é uma exceção à regra.

O mundo está cada vez mais digital e o Bitcoin possui um papel muito interessante nisto. É a primeira moeda realmente global? É uma versão digital do ouro? Em todo caso, os mineradores são uma parte fundamental neste sistema. 


 

Nós também aconselhamos que você leia os seguintes artigos para um entendimento completo do Bitcoin:

Se você tem qualquer pergunta, ficaremos felizes em respondê-la nos comentários abaixo! Nós também te convidamos a se juntar ao debate nas nossas redes sociais.